Chamada de Artigos para o Dossiê “História e Música na América Latina: interlocuções historiográficas"

2021-05-01

Chamada para o Dossiê nº 2 (Vol. 10, 2021)

Prezados autores, 

A revista História e Cultura, em conjunto com os organizadores Prof. Me. Icaro Bittencourt (Doutorando do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná – UFPR e professor de História no Instituto Federal Catarinense - Campus São Francisco do Sul); e Prof. Me. Leandro Braz da Costa (Doutorando do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM), convida a todos os membros da comunidade acadêmica a enviarem suas contribuições para o dossiê “História e Música na América Latina: interlocuções historiográficas"

Os textos devem seguir nossas Diretrizes para Autores e devem ser encaminhados pelo sistema da revista até 01/09/2021.

Atenciosamente,

Organizadores e Revista História e Cultura


Resumo da proposta: 

A América Latina é um território profícuo e frondoso musicalmente, no qual artistas de diversos gêneros e estilos desempenharam papéis significativos no que diz respeito às experiências vivenciadas ao longo dos séculos, refletindo através de suas produções autorais e/ou copistas, pluralizadas concepções socioculturais instrumentalizadas pela capacidade de comunicação advinda do conteúdo sonoro - exclusivamente instrumental - e/ou letrado de suas composições.

Em 1968, o musicólogo e folclorista brasileiro Luiz Heitor Corrêa de Azevedo menciona quando o compositor erudito Juan Bautista Plaza deu início a publicação do Archivo de música colonial venezolana, trazendo à tona a revelação de nomes e partituras de compositores venezuelanos do século XVIII. Ele teria aberto o caminho para um amplo panorama do passado musical na América Latina, deixando evidente que para compreender a história cultural latino-americana havia a necessidade premente de saber como e em que medida a música fazia parte do seu desenvolvimento.

Em 2018, o historiador argentino Héctor Pérez Brignoli, em sua mais recente abordagem sobre a História da América Latina, incluiu um texto dedicado exclusivamente ao compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos, sinalizando a importância da inclusão da temática musical em livros de abordagem ampla sobre a história latino-americana.

Assim, desde a primeira metade do século XX até a atualidade, diversos(as) musicólogos(as) e historiadores(as) estão cada vez mais dedicados(as) a trocar experiências teórico-metodológicas, apostando em abordagens interdisciplinares e incorporando fontes históricas e temáticas de diferentes recortes espaço-temporais.

A diversificação dos intercâmbios entre História e Música têm apontado, portanto, para a superação da exclusividade de análises internalistas da obra musical e do determinismo de abordagens historiográficas tradicionais que explicam a música pelo contexto, quando não negligenciam a importância da música em abordagens sobre as expressões artísticas de determinada sociedade.

Ao mesmo tempo, então, tanto a historiografia tem contribuído para complexificar a abordagem musicológica, destacando a multidimensionalidade da obra musical, como os estudos sobre música têm chamado a atenção de historiadores para a relevância das sonoridades produzidas pelos seres humanos como temática fundamental para a compreensão das sociedades.

O atual estágio de desenvolvimento das interlocuções historiográficas acerca das relações entre história e música na América Latina contempla a utilização de múltiplos referenciais teórico-metodológicos, fontes de pesquisa e abordagens temáticas com diferentes enfoques, tais como características artísticas, condições de produção, circulação e recepção das obras, estudos da canção (letra e música), relações entre música e identidades culturais, bem como aspectos relacionados às condições de trabalho dos músicos e suas variadas formas de interação com o mercado de bens simbólicos.

Nesse sentido, tentando mapear essas transformações recentes no diálogo entre Música e História na América Latina, propomos um dossiê temático cujas contribuições possam dialogar com diferentes temáticas e abordagens, desde que tematizando recortes espaciais, temporais e/ou temáticos relacionados à América Latina: diferentes gêneros musicais (eruditos, folclóricos e populares), relações de trabalho no campo musical; canção e música instrumental; suportes de registro fonográfico; indústria fonográfica e produção independente; tradições, modernidades, conformismos e resistências na música latino-americana; música e identidades culturais; música, memória e acervos; música e ensino de História da América Latina.

Todas essas temáticas devem enfatizar os fazeres e saberes musicais enquanto manifestações artísticas que compõem o complexo e fascinante amálgama cultural de gêneros musicais praticados no território latino-americano e/ou sobre suas diferentes culturas e que permitem abordagens cada vez mais plurais e multifacetadas no diálogo entre musicologia e historiografia.