AS ORGANIZAÇÕES EXTRATIVISTAS NA AMAZÔNIA E A CONCEPÇÃO HOLÍSTICA DO MEIO AMBIENTE

Autores

  • Raimunda Regina Ferreira Barros

DOI:

https://doi.org/10.22171/rej.v16i23.513

Resumo

Vive-se atualmente em uma sociedade global regida pelo modelo capitalista cujas práticas sociais se pautam fundamentalmente pela produção e reprodução do capital e se dão, no mais das vezes, em desrespeito e total agressão ao meio ambiente como se os recursos naturais fossem infinitos. Nota-se, entretanto, que já há pessoas e movimentos organizados que orientam suas ações visando à sustentabilidade do planeta, merecendo destaque a relação que os extrativistas da Amazônia brasileira estabelecem com a natureza. Para tais pessoas e grupos a visão holística do meio ambiente tende a ganhar força, sendo cada vez mais aplicada às suas relações com a natureza. É a superação da acepção cartesiana e a opção por práticas ecológicas de compreensão do inter-relacionamento e interdependência entre os vários componentes da natureza, em que o homem vê-se como parte desta e não como um ser superior.

Biografia do Autor

Raimunda Regina Ferreira Barros

Downloads

Publicado

2012-11-15

Como Citar

BARROS, R. R. F. AS ORGANIZAÇÕES EXTRATIVISTAS NA AMAZÔNIA E A CONCEPÇÃO HOLÍSTICA DO MEIO AMBIENTE. Revista de Estudos Jurídicos da UNESP, Franca, v. 16, n. 23, 2012. DOI: 10.22171/rej.v16i23.513. Disponível em: https://ojs.franca.unesp.br/index.php/estudosjuridicosunesp/article/view/513. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

LINHA II Cidadania Social e Econômica e Sistemas Normativos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Obs .: Este plugin requer que pelo menos um plugin de estatísticas / relatório esteja ativado. Se seus plugins de estatísticas fornecerem mais de uma métrica, selecione também uma métrica principal na página de configurações do site do administrador e / ou nas páginas de configurações do gerente da revista.