PERIGO DA HISTÓRIA ÚNICA, DECOLONIALIDADE E A CONSTRUÇÃO EPISTEMOLÓGICA DO CONCEITO DE FAMÍLIAS NO ESTADO BRASILEIRO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22171/rej.v25i42.3456

Resumo

Sob a vertente jurídico-sociológica, com o objetivo de investigar a constitucionalização do Direito Privado se analisa a construção do conceito do que são famílias ao longo da história recente para verificar sobre a adequação do paradigma. Dessa maneira, o trabalho se justifica mostrar que o direito moderno/colonial ainda se mantém dominante sobre a estrutura jurídica do conceito das famílias. Como referencial teórico se tem o pensamento decolonial e também os escritos da autora Chimamanda Adichie para mostrar o quão perigoso é uma história contada apenas pela perspectiva das/os vencedoras/es, estando estes sempre localizados no norte hegemônico.

Biografia do Autor

Rainer Bomfim

Doutorando em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Mestre em Direito pela UFOP. Professor de Direito na Rede Doctum de Ensino - Unidadae João Monlevade. 

Maria Carolina Souza de LIMA, Universidade Federal de Minas Gerais

Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais. 

Luísa Marques Reis

Bacharela em Direito pela Pontifícia Universidade Católica. 

Downloads

Publicado

2023-06-22

Como Citar

BOMFIM, R.; LIMA, M. C. S. de; REIS, L. M. PERIGO DA HISTÓRIA ÚNICA, DECOLONIALIDADE E A CONSTRUÇÃO EPISTEMOLÓGICA DO CONCEITO DE FAMÍLIAS NO ESTADO BRASILEIRO. Revista de Estudos Jurídicos da UNESP, Franca, v. 25, n. 42, 2023. DOI: 10.22171/rej.v25i42.3456. Disponível em: https://ojs.franca.unesp.br/index.php/estudosjuridicosunesp/article/view/3456. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Tutela e Efetividade dos Direitos da Cidadania