ASCESE, CAPITAL E RELAÇÕES DE TRABALHO NO SÉCULO XXI: IMAGENS, VERTIGENS E PERSPECTIVAS NA SOCIEDADE DO ESPETÁCULO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22171/rej.v24i39.3244

Resumo

Neste artigo apresentam-se pontos de contato que buscam delinear como a ascese descrita por Weber não apenas atuou nos séculos antecedentes a fim de possibilitar o surgimento de um novo modelo de regime produtivo (e de trabalho, portanto), mas, como ela, ainda em pleno Século XXI tem se revelado como um forte instrumento de suporte desse modelo, atualizando-se para permitir um renovar do desencantamento do mundo e uma perspectiva de transcendência histórica e socioeconômica que suporta as relações sociais de trabalho no novo milênio. A pesquisa se justifica a partir da ideia conceitual de que as relações sociais laborais guardam efetivo comprometimento com o modelo de regime de produção proposto, expropriação e exploração da mão-de-obra desde o incremento do modelo capitalista e suas modernas versões. Empregou-se o método dedutivo que proporcionou como resultados identificar que a ascese weberiana não apenas sobreviveu ao longo do tempo, como, atualizou-se para incrementar as novas revoluções produtivas nos séculos XX e XXI.

Biografia do Autor

Cláudio Ribeiro Lopes, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Doutor em Ciências Jurídicas e Sociais pela UFF (2014), Mestre em Direito pela UEM (2007), graduado em Direito pelo Centro Universitário Toledo de Presidente Prudente/SP (1990). Autor da obra "Delinquência ambiental: os limites do Direito Penal", publicada em 2014.

Downloads

Publicado

2021-06-11

Como Citar

Lopes, C. R. (2021). ASCESE, CAPITAL E RELAÇÕES DE TRABALHO NO SÉCULO XXI: IMAGENS, VERTIGENS E PERSPECTIVAS NA SOCIEDADE DO ESPETÁCULO. Revista De Estudos Jurídicos Da UNESP, 24(39). https://doi.org/10.22171/rej.v24i39.3244

Edição

Seção

LINHA I Cidadania Civil e Política e Sistemas Normativos