DOMINAÇÃO MASCULINA: A CONSTRUÇÃO HISTÓRICA MATERIALIZADA EM HERANÇA SOCIAL E CULTURAL

Luci Regina Muzzeti

Resumo


O presente trabalho tem como principal objetivo trazer discussões acerca da dominação masculina incorporada no seio familiar que por meio da herança cultural transmitida, perpetua e acentua as questões relacionadas aos papéis de dominados e dominantes entre os gêneros feminino e masculino. Apoiada na sociologia de Pierre Bourdieu e equipe, a presente investigação partiu dos conceitos chave da teoria do sociólogo francês, onde com base no habitus, capital cultural, capital social, herança cultural e gênero, buscou-se sinalizar como estas questões são transmitidas dentro da família, e, consequentemente perpassam os limites familiares e se inculcam na sociedade. A fim de ressaltar como as diferenças de gênero se perpetuaram durante o passar do tempo, traçamos um percurso histórico-cultural que, com base em variados fatos e grandes acontecimentos históricos, servirão como plano de fundo para maior elucidação acerca do processo de construção desse sistema de relações desigual e simbolicamente autoritário. O estudo aqui apresentado pretende sinalizar como as questões relacionadas à dominação masculina estão presentes em nossa sociedade há séculos, e, o quanto este tipo de comportamento, que pode ser caracterizado como uma forma de violência simbólica construída sócio-culturalmente através de gostos, atitudes e interditos, é ainda cultivado e incentivado no interior da família contemporânea. 





CAMINE: Cam. Educ. = CAMINE: Ways Educ., Franca, SP, Brasil - eISSN 2175-4217 - está licenciada sob Licença Creative Commons