A representação sociocultural do cotidiano dos sisaleiros nas manifestações culturais do município de São Domingos na década de 1990

Iracema Lopes Alves

Resumo


O presente artigo busca entender como a rotina de trabalho de sisaleiros se expressa em suas manifestações culturais no município de São Domingos, cujas transformações e adaptações foram mais acentuadas na década de 1990. Período este, que ocorreu várias mudanças na sisalicultura e consequentemente causou um impacto nos costumes e modo de vida de muitos trabalhadores e trabalhadoras rurais que sobreviviam dessa atividade econômica. Inicialmente, exponhe a chegada do agave no país até a sua introdução no semiárido baiano. Após a contextualização desse vegetal na região, aborda-se os diversos sentidos que as manifestações foram adquirindo no processo laboral destes sujeitos, bem como a construção de uma imaginada comunidade do sisal e a importância que as canções populares possuem na vida dos sertanejos/nordestinos. E assim, finaliza-se o estudo com a análise de músicas, das manifestações em estudo, presentes tanto no local de trabalho como nos ambientes de festas e lazer dos sisaleiros e sisaleiras são-dominguenses. 

 




DOI: http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v8i1.2366


 

Licença Creative Commons A Revista História e Cultura, ISSN: 2238-6270, Franca, SP, Brasil, está licenciada sob uma Licença Creative Commons