Reprodução endógena e mestiçagens dos escravos nas fazendas jesuíticas na capitania do Rio de Janeiro, 1759-1779 * Endogenous breeding and hybridism of the slaves in the Jesuits farms in the captaincy of Rio de Janeiro, 1759-1779

MÁRCIA AMANTINO

Resumo


Este texto busca apresentar uma discussão a respeito da relação que os padres da Companhia de Jesus mantinham com a escravidão de negros na América portuguesa, mais especificamente na capitania do Rio de Janeiro, ao longo do período colonial. A análise procura entender seu comportamento e, ao mesmo tempo, identifica a Ordem como uma das maiores proprietárias de escravos no continente americano. A existência das fazendas inacianas fazia com que numerosos contingentes de escravos fossem incorporados aos seus bens, e os jesuítas passaram a ser efetivamente senhores de terras e de cativos, muitos deles nascidos em suas fazendas ou nas localidades próximas. Começava aí um dos vários problemas enfrentados pelos inacianos em terras brasileiras e, posteriormente, em diferentes partes das Américas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v3i2.1360

 

Licença Creative Commons A Revista História e Cultura, ISSN: 2238-6270, Franca, SP, Brasil, está licenciada sob uma Licença Creative Commons