Spatial History e humanidades digitais, uma entrevista com o brasilianista Zephyr Frank

FREDERICO FREITAS

Resumo


Entrevista com Zephyr Frank, diretor do Spatial History Project (Projeto de História Espacial) e do Center for Spatial and Textual Analysis (Centro de Análise Espacial e Textual) da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, sobre spatial history e outras linhas de pesquisa englobadas sob o rótulo das humanidades digitais. A discussão toca o tema do uso de novos métodos digitais como o SIG histórico, a leitura à distância e a análise de redes sociais na pesquisa em humanidades, questionando os limites e as possibilidades de tais ferramentas. Por fim, discute-se sobre o investimento institucional e financeiro necessário para a implementação dessas novas tecnologias de pesquisa.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v3i1.1203

 

Licença Creative Commons A Revista História e Cultura, ISSN: 2238-6270, Franca, SP, Brasil, está licenciada sob uma Licença Creative Commons