Representações sociais como produtos e processos: embates em torno da construção discursiva da categoria “vândalos” no contexto das manifestações sociais no Rio de Janeiro em 2013 * Social representation as products and process

ANA LUCIA ENNE

Resumo


Neste artigo, pretendemos discutir como, no decorrer das manifestações sociais que se desenrolaram no Brasil em 2013, em especial no Rio de Janeiro, uma categoria semântica ocupou papel central: a de “vândalos”. Eleito pela mídia hegemônica como termo síntese das ações violentas dos manifestantes, o signo “vândalos” permitiu a construção, via indústria cultural, de uma série de representações sociais sobre as manifestações, os manifestantes e seus atos. A mesma categoria vai ser utilizada, em estratégias diversas, por aqueles que se colocaram, discursivamente, contra as representações produzidas pela grande mídia, através de deslocamentos e reapropriações. Neste trabalho, buscamos não só mapear esses embates, mas indicar o caráter ambivalente das representações, como produto e processo da relação entre os sujeitos e a realidade social.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v2i2.1076

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


 

Licença Creative Commons A Revista História e Cultura, ISSN: 2238-6270, Franca, SP, Brasil, está licenciada sob uma Licença Creative Commons