ESTUDOS SOBRE JUVENTUDES: IMPLICADORES TEÓRICOS E METODOLÓGICOS SOBRE CULTURAS JUVENIS E ENSINO MÉDIO

Márcia Cristina Rodrigues da Silva Coffani, Cleomar Ferreira Gomes

Resumo


Este artigo de revisão se dedicou à síntese dos marcadores epistemológicos produzidos por estudos e estudiosos que se dedicam à “Sociologia da Juventude”, e que tem contribuído com as discussões sobre “os jovens e as culturas juvenis em relação com a escola e o Ensino Médio” no Brasil. Tem-se o objetivo de apoiar os estudos de pesquisadores iniciantes ao revisitar a literatura consolidada sobre a temática tecendo um panorama geral da construção sociológica do estatuto da juventude, com destaque sobre como a produção acadêmica tem investigado as juventudes brasileiras, sob quais balizas teóricas e metodológicas têm se investido sobre o jovem e a escola de Ensino Médio na contemporaneidade.  Descrevemos vertentes sociológicas que focalizam o “jovem” e sua “condição juvenil”, ao analisarem os discursos produzidos sobre os “jovens” a fim de caracterizar o conjunto de pressupostos teórico-metodológicos que têm orientado às investigações sobre a juventude, o que inclui a reflexão dos limites e das condições da aproximação sociológica sobre as “culturas juvenis”. Em específico, o deslocamento da conceituação de “juventude no singular” para “juventudes no plural”, e que indica uma proposição sociológica que percebe as dificuldades e carências sociais e materiais que envolvem a vida do jovem na contemporaneidade, ao reconhecer as diversas “condições juvenis”, expressas no cotidiano das escolas de Ensino Médio.


Palavras-chave


Sociologia da Juventude. Jovens. Culturas Juvenis. Escola. Ensino Médio.

Referências


ABRAMO, Helena Wendel. Condição juvenil no Brasil contemporâneo. In: ABRAMO, Helena Wendel; BRANCO, Pedro Paulo Marconi (org.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2005. p. 37-72.

ABRAMO, Helena Wendel. Considerações sobre a tematização social da juventude no Brasil. In: BRASIL. Juventude e contemporaneidade. Brasília, DF: UNESCO: MEC: ANPED, 2007. (Coleção educação para todos, 16). p. 73-90.

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2006.

BARROSO, João. Cultura, cultura escolar, cultura de escola. In: PINHO, Sheila Zambello de (coord.). Caderno de formação: formação de professores: Bloco 03: Gestão Escolar. São Paulo: Cultura Acadêmica: Universidade Estadual Paulista, Pró-Reitora de Graduação: Univesp, 2012.

BAUMAN, Zygmunt. O mal estar da pós-modernidade. Tradução Mauro Gama; Cláudia Martinelli Gama. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. 44 cartas do mundo líquido moderno. Tradução Vera Pereira. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

BOURDIEU, Pierre. A juventude é apenas uma palavra. In: BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Tradução Miguel Serraras Pereira. Lisboa: Fim de Século, 2003. p. 151-162.

BRASIL. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 2 mar. 2014.

BRASIL. Lei n. 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 jan. 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10406.htm. Acesso em: 13 jan. 2014.

BRASIL. Lei n. 12.852, de 5 de agosto de 2013. Institui o Estatuto da Juventude e dispõe sobre os direitos dos jovens, os princípios e diretrizes das políticas públicas de juventude e o Sistema Nacional de Juventude - SINAJUVE. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF, 6 ago. 2013a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12852.htm. Acesso em: 12 fev. 2014.

CANEVACCI, Massimo. Culturas extremas: mutações juvenis nos corpos das metrópoles. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

DAYRELL, Juarez Tarcísio. O jovem como sujeito social. In: BRASIL. Juventude e Contemporaneidade. Brasília, DF: UNESCO: MEC: ANPED, 2007a. (Coleção educação para todos, 16). p. 155-176.

DAYRELL, Juarez Tarcísio. A escola “faz” as juventudes? Reflexões em torno da socialização juvenil. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, esp., p. 1105-1128, out. 2007b. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v28n100/a2228100. Acesso em: 10 jan. 2014.

DAYRELL, Juarez Tarcísio; CARRANO, Paulo Cesar Rodrigues. Juventude e ensino médio: quem é este aluno que chega à escola. In: DAYRELL, Juarez Tarcísio; CARRANO, Paulo Cesar Rodrigues; MAIA, Carla Linhares (org.). Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: UFMG, 2014. p. 101-133.

DUBET, François. Quando o sociólogo quer saber o que é ser professor: entrevista com François Dubet. Entrevistadoras: Angelina Teixeira Peralva e Marília Pontes Sposito Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 5/6, p. 222-231, maio/dez. 1997.

FEIXA, Carles. Carles Feixa, pioneiro de los estúdios sobre Juventud em Iberoamérica. Entrevistador: Germán Muñoz González. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, Manizales, v. 11, n. 2, p. 899-913, jul./dic. 2013.

FRASCHETTI, Augusto. O mundo romano. In: LEVI, Giovanni; SCHMITT, Jean-Claude (org.). História dos jovens: da antiguidade à era moderna. Tradução Claudio Marcondes; Nilson Moulin; Paulo Neves. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 59-95.

GROPPO, Luís Antonio. Dialética das juventudes modernas e contemporâneas. Revista de Educação do Cogeime, Belo Horizonte, ano 13, n. 25, p. 9-22, dez. 2004.

LEVI, Giovanni; SCHMITT, Jean-Claude. Introdução. In: LEVI, Giovanni; SCHMITT, Jean-Claude (org.). História dos jovens: da antiguidade à era moderna. Tradução Claudio Marcondes; Nilson Moulin; Paulo Neves. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 7-17.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987.

MARGULIS, Mário; URRESTI, Marcelo. Juventud es más que una palabra: ensayos sobre cultura y juventud. Buenos Aires: Biblos, 1996.

MELUCCI, Alberto. O jogo do eu: a mudança de si em uma sociedade global. São Leopoldo: Unisinos, 2004.

MELUCCI, Alberto. Busca de qualidade, ação social e cultura: por uma sociología reflexiva. In: MELUCCI, Alberto (org.). Por uma sociología reflexiva: qualitativa e cultura. Petrópolis: Vozes, 2005. p. 25-42.

MELUCCI, Alberto. Juventude, tempo e movimentos sociais. In: BRASIL. Juventude e contemporaneidade. Brasília, DF: UNESCO: MEC: ANPED, 2007. (Coleção educação para todos, 16). p. 29-45.

PAIS, José Machado. Lazeres e sociabilidades juvenis - um ensaio de análise etnográfica. Análise Social, Lisboa, v. 25, n. 108-109, p. 591- 644, 1990.

PAIS, José Machado; CAIRNS, David; PAPPÁMIKAIL, Lia. Jovens europeus - retrato da diversidade. Tempo Social, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 109-140, 2005.

PAIS, José Machado. A juventude como fase da vida: dos ritos de passagem ao ritos de impasse. Saúde Sociedade, São Paulo, v.18, n. 3, p. 371-381, 2009.

PASTOUREAU, Michel. Os emblemas da juventude: atributos e representações dos jovens na imagem medieval. In: LEVI, Giovanni; SCHMITT, Jean-Claude (org.). História dos jovens: da antiguidade à era moderna. Tradução Claudio Marcondes; Nilson Moulin; Paulo Neves. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 245-263.

PERALVA, Angelina Teixeira. O jovem como modelo cultural. In: BRASIL. Juventude e contemporaneidade. Brasília, DF: UNESCO: MEC: ANPED, 2007. (Coleção educação para todos, 16). p. 13 - 27.

PEREZ GÓMEZ, Angel I. Funções sociais da escola: da reprodução à reconstrução crítica do conhecimento e da experiência. In: GIMENO SACRISTÁN, José; PÉREZ GÓMEZ, Angel I. Compreender e transformar o ensino. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SPOSITO, Marilia Pontes. Considerações em torno do conhecimento sobre Juventude na área da Educação. In: SPOSITO, Marilia Pontes (coord.). Juventude e escolarização (1980-1998). Brasília, DF: MEC: INEP: COMPED, 2002. p. 7-34. (Série estado do conhecimento).

SPOSITO, Marilia Pontes. Algumas reflexões e muitas indagações sobre as relações entre juventude e escola no Brasil. In: ABRAMO, Helena Wendel; BRANCO, Pedro Paulo Marconi (org.). Retratos da juventude brasileira. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2005. p. 87-127.

SPOSITO, Marilia Pontes (coord.). Estado da arte sobre juventude na pós-graduação brasileira: educação, ciências sociais e serviço social (1999-2006). Belo Horizonte: Argvmentvm, 2009a. v. 1-2.

SPOSITO, Marilia Pontes. A pesquisa sobre jovens na pós-graduação: um balanço da produção discente em Educação, Serviço Social e Ciências Sociais (1999-2006). In: SPOSITO, Marilia Pontes (coord.). Estado da arte sobre juventude na pós-graduação brasileira: educação, ciências sociais e serviço social (1999-2006). Belo Horizonte: Argvmentvm, 2009b. v. 1. p. 17-56.





CAMINE: Cam. Educ. = CAMINE: Ways Educ., Franca, SP, Brasil - eISSN 2175-4217 - está licenciada sob Licença Creative Commons