Comentários do leitor

Dicas para entrevista de emprego

por Kaio Amaral (2018-05-24)


Sabe aquele momento em que você, que pesquisa uma admissão, irá conversar com um especialista que vai qualificar o seu comportamento (e nivela-lo com o da posição)? Esse momento se chama entrevista de emprego. Um dos participantes nesse evento é o entrevistado, que tem não muito tempo para comprovar suas maiores qualidades da mesma forma que, do outro lado, temos um mestre treinado em recrutamento e seleção com o dever de averiguar os dados enviadas no currículo. O segundo também vai observar as mais diversas peculiaridades do entrevistado (mesmo em breve período de tempo).

Esta é uma obrigação difícil para todos os envolvidos. Pontualmente por isso, você não deve “deixar a peteca cair” neste momento. Para se planejar devidamente, confira estas dicas de alguém chamado Marcos Castro. Ele é gerente geral da Alberto Costa Recursos Humanos LTDA e tem vasto conhecimento na área (eis o porquê de você dever ouvi-lo).

Entende a ti mesmo.

Faça contato com teus familiares e colegas mais chegados. Isto por quê, nessa fase, você precisa se dominar melhor. “No ínterim de uma reunião de emprego o profissional de RH poderá solicitar ao entrevistado que descreva suas principais aptidões. Quando isto ocorre, ele não somente precisa enumerar suas habilidades, mas também descrevê-la e criar exemplos. Assim sendo, você precisa planejar um formulário de questionamentos e dá-lo para as pessoas mais chegadas (amigos e parentes).

Deste jeito, será possível que elas te mostrem no que você é habilidoso, quais são suas mais vitais peculiaridades e qual é a razão que as fez a pensar isso. “Várias epifanias vão aparecer na sua cabeça por causa dessas epifanias. Este é, inquestionavelmente, um dos melhores exercícios de auto gnose.

Foque na faceta profissional.

Essa é a segunda dica: tomar o cuidado de direcionar o fruto desta solução para o lado profissional. Além disso faz-se indispensável extrair dessas conversas referências que provem cada habilidade que irá ser destacada.

Caso alguma pessoa disse que você é alegre e usou exemplos ilustrativos da vida particular, faz-se fundamental que você use ilustrações da vida profissional que justifiquem características análogas. Tente lembrar que, apesar de o exercício de conhecimento de si próprio ser feito com conhecidos e familiares mais chegados, o centro da conversa sempre será o seu lado profissional.

Você deve levar uma “cola” para a reunião.

Não existe qualquer problema em levar os assuntos centrais registrados em um papel. Isso é particularmente verdade se você não permanecer simplesmente lendo o tempo todo. Caso opte por levar essas anotações, lembre-se de anunciar para o entrevistador logo de cara. Intere que fez os tópicos para assegurar que não estava deixando passar despercebido nada do que acreditava ser importante.

Vale evidenciar que a “cola” serve somente como lembrete. Consequentemente ela deve ser exclusivamente uma nota com alguns tópicos. Na prática, a “cola” vai parecer isso, mas vai ser uma verdadeira salva-vidas para o caso de você estar muito angustiado e ter um “branco” bem na hora da verdade.

Seriamente, vai gerar uma imagem positiva levar uma ”colinha”: mostra que o candidato teve a preocupação de se planejar para o encontro.

Aceite que está nervoso (você não é “de ferro”).

Caso você esteja receoso (ou agoniado), a diretriz é confessar isso para o recrutador. Se você tiver o sentimento de estar sendo atrapalhado pela própria aflição, peça desculpas e alguns instantes para se recompor. Diga que está bem angustiado.

Portanto, caso isso aconteça, saiba que é papel de um bom recrutador saber como “quebrar o gelo” e “quebrar o gelo”. Um recrutador é diplomado e conhece formas de como agir nesse tipo de caso.

http://www.RecrutaPower.com.br/dicas-para-entrevista-de-emprego-2/