Comentários do leitor

Empreendedorismo Social Promovendo A Inserção Cidadã De Pessoas De Baixa Renda Um Estudo De Caso

por Juan Wruck (2018-09-30)


EMPREENDEDORISMO SOCIAL PROMOVENDO A INSERÇÃO CIDADÃ DE PESSOAS DE BAIXA RENDA UM ESTUDO DE CASO DA ASSOCIAÇÃO COMFIBRA. Planejado pelo SEBRAE ( empreendedor social do COMFIBRA), no ano de 2003, com apoio da prefeitura Bolsa de bambu Municipal de Jacarezinho; Cúria Diocesana (Igreja Católica); Secretária Estadual do Trabalho, Emprego e Promoção Social (SETP-PR); e associação comercial (ACIJA), lançaram oficialmente programa citado. Fonte: MELO NETO, 2002, p. 68. Melo Neto & Froes (2002) mostra os fatores-determinantes” do capital social: organização, participação, solidariedade, cooperação, confiança e iniciativa. Já para social, a economia está a serviço da comunidade” e investimento principal é capital social”. Figura 2 - Diferenças entre projetos sociais x Projetos de empreendedorismo social. (MELO NETO & FROES, 2002. (FRANCO, 2004; MELO NETO & FROES, 2002). Franco (2004) utiliza a expressão pautas sociais inovadoras”, como inúmeras possibilidades de ações de uma comunidade em desenvolvimento”. No Brasil são mais de 2 mil pessoas e instituições que dominam essa metodologia do DLIS, logo são aptas de implantar projetos e processo de indução ao desenvolvimento em municípios, bairros, distritos, microrregiões em todas as unidades da Federação Brasileira. Palavras-chave: Empreendedorismo Social. Nota-se que a formulação, a criação e funcionamento da COMFIBRA estão indo ao encontro do que menciona Melo Neto & Froes (2002), quanto ao empoderamento social, e do investimento em capital social” citado por Franco (2004).Para que se alterasse esse quadro foi efetivado um levantamento das potencialidades” de empreendimentos de cada bairro do município, realizado pelos membros-voluntários do projeto em andamento do SEBRAE, Bairro que Faz”, no qual já existiam os fóruns de desenvolvimento”, criados para elencar os requisitos dessas comunidades.Logo projeto social é aquele que podem identificar as demandas”e prioridades nas ações capazes de gerar produtos, informação, mão-de-obra treinada, bens e serviços”; já os empreendimentos sociais são aqueles que criam, fomentam processos de participação”, interação, parcerias”, troca de bens e serviços” e plano de ações em conjunto. This research was developed within a line of work whose main thrust is to demonstrate that social entrepreneurship can be a tool solution for remote communities in social risk and display the importance of social entrepreneurship in local development and social capital " empowerment and social community.