Cortejo de miséria: seca, assistência e mortalidade infantil na segunda metade do século XIX no Ceará * Courtege of misery: drought, assistance and infant mortality in the second half of the 19th century in Ceará

Georgina da Silva Gadelha, Zilda Maria Menezes Lima

Resumo


A História do Ceará é marcada pelas secas e suas consequências que geraram (e geram) migrações e mortalidade humana expressiva. Nosso objetivo é analisar a segunda metade do século XIX, sobretudo a seca de 1877-1879, conhecida como a “grande seca”, buscando compreender como o governo, a partir desse período, passou a entender a pobreza, a assistência e a caridade destinadas aos socorros dos migrantes que saíram do campo para os centros urbanos à procura de auxílio do poder público, o qual atuou dentro da perspectiva do controle e da disciplina. Procuramos demonstrar também a elevação significativa nas taxas de mortalidade infantil por terem sido as crianças, a parte da população que mais sofreu com a fome e as altas temperaturas e pelo tema ser uma questão pouco explorada na literatura cearense.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v6i2.2204

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


 

Licença Creative Commons A Revista História e Cultura, ISSN: 2238-6270, Franca, SP, Brasil, está licenciada sob uma Licença Creative Commons