ANÁLISE CRÍTICA SOBRE O ENVELHECIMENTO NA PERSPECTIVA DE TOTALIDADE: O COTIDIANO PÓS-MODERNO

Gabriela Cristina Carneiro Vilione

Resumo


O envelhecimento populacional é realidade vivenciada de forma expansiva pela maior parte do mundo, e, enquanto fenômeno mundial carrega consigo a  conquista da longevidade, mas paradoxalmente, também o desafio de se pensar na velhice da classe trabalhadora que continua subalternizada. Destarte, abordaremos neste excerto, sobre o envelhecimento na perspectiva de totalidade, tendo como concepção teóricometodológica, pautada no materialismo histórico dialético em Marx – sendo que o presente artigo faz alusão ao trabalho de dissertação de mestrado em Serviço Social em andamento – a questão dos estigmas propalados pela sociedade pós-moderna que promove
e perpetua pseudovalorizações da velhice, e, impede de olharmos integralmente para o envelhecimento enquanto uma fase que continuamos sujeitos históricos de direitos com potencialidades para além desta sociabilidade. Para tanto, explanaremos sobre a velhice em tempos de capital e as investidas neoliberais, a velhice das classes subalternas e a centralidade do trabalho.


Palavras-chave


Estigmas; Pseudovalorizações; Pós-modernidade e Velhice.

Texto completo:

PDF


eISSN: 2176-0896

Locations of visitors to this page